Header

Anuncie
LSD

Uma super dosagem de LSD pode matar?

Pink Elephants on Parade Blotter LSD Dumbo - Uma super dosagem de LSD pode matar?

Qual quantidade de LSD é considerada uma superdosagem?

Super dosagem de LSD?

Quem já experimentou LSD em gota deve conhecer o pequeno frasco de vidro que carrega o líquido transparente. Se apenas uma gota é suficiente para uma trip fortíssima, o que deve causar uma ingestão de maior quantidade? Seria possível morrer de uma overdose?

Há poucos casos documentados de morte atribuídos a uma sobredosagem de LSD desde a descoberta da droga em 1943. Um aconteceu recentemente, em agosto deste ano, no festival de música Lightning in a Bottle, na Califórnia. A morte de Baylee Gatlin, de 20 anos, foi inicialmente culpada pelo LSD, embora o relator do forense tenha dito mais tarde que a substância não era responsável. O LSD poderia ter contribuído, mas a causa da morte foi considerada como falência de múltiplos órgãos, hipertermia e desidratação. Um farmacologista e especialista em alucinógenos, Dr. David Nichols, disse ao jornal San Luis Obispo Tribune: “Não é lógico nem razoável concluir que ela é a primeira de 30 milhões de pessoas que usaram o LSD de forma segura e morreu (daquele pequeno montante ). Não é possível. Há outra coisa. Eles não analisaram o que deveriam ter analisado “.

Mais cedo em 2017, a morte de um adolescente no Canadá também estava ligada ao LSD. Os paramédicos não conseguiram ressuscitar Henry Suggitt e o exame pós-morte revelou que ele tinha 1,3 mg de LSD por cada 1 mL de sangue e 31 mg de álcool por 100 ml de sangue, com o médico legista afirmando que “a causa médica da morte foi intoxicação por LSD”.

Em um mini-documentário feito pelo youtuber Audible484, baseado em uma série de reportagens e estudos lincados na descrição do vídeo, ele afirma que a morte nestes casos não é possível, mas com algumas advertências. É muito improvável que se morra por uma overdose de LSD, mas pode haver outros danos ou perigos, como experimentar ataques de pânico, depressão severa, convulsões e comportamento errático. Com a dose média de LSD variando entre 40 a 500 microgramas, os efeitos de overdose foram registrados em doses de 1.000 a 7.000 microgramas em estudos realizados nos anos 70. Mesmo os usuários mais fortes provavelmente não entrarão em contato com tal quantidade de LSD, de acordo com o cineasta por trás do documentário.

Há, também, muitos óbitos ligados ao consumo de 25I-NBOMe e relacionados, substâncias que, às vezes, são vendidas como se fossem LSD.

Veja o documentário abaixo em inglês:

 

Quão forte é LSD?

 Albert Hofmann determinou que uma dose de mescalina, aproximadamente 0,2 a 0,5 g, tem efeitos comparáveis a 100 µg ou menos de LSD; em outras palavras, o LSD é entre cinco ou dez mil vezes mais ativo que a mescalina.

De acordo com o bioquímico Arthur Stoll, o nível da dose que irá produzir um efeito alucinógeno em pessoas é considerado ser 20 a 30 µg, com os efeitos da droga se tornando mais evidentes com dosagens mais altas. As doses típicas na década de 60 variavam de 200 a 1000 µg, enquanto as amostras encontradas nas ruas da década de 70 continham 30 a 300 µg. Em meados da década de 80, a média tinha reduzido para 100 a 125 µg, abaixando ainda mais na década de 1990 para 20–80 µg.

Como o número de mortes registradas desde a primeira utilização de LSD é muito baixo – menor que 10, de conhecimento do público – e os poucos estudos não determinam com exatidão a quantidade certa para uma overdose, responder a pergunta “é possível morrer com uma superdosagem de LSD?” com sim ou não soa muito simplista.

Existem dois tipos principais de “toxicidade”. A toxicidade aguda envolve danos causados por uma única exposição a curto prazo e a toxicidade crônica é a capacidade de uma substância causar danos por exposição repetida durante um período prolongado. Em doses recreativas, o LSD não exibe nenhum desses tipos de toxicidade. Mesmo em doses muito mais altas do que a maioria dos usuários está acostumada, a evidência de toxicidade do LSD varia de ‘insuficiente’ a ‘nenhuma’.

Com uso regular ou frequente de LSD, o cérebro rapidamente desenvolve uma tolerância aos efeitos da droga. Sempre que o nível de tolerância aumenta, a questão em torno da superdosagem do LSD tem a ver com a quantidade de dose necessária para desligar um ou mais dos principais sistemas do corpo. A toxicidade do LSD desenvolve-se quando os níveis de dosagem excedem o cérebro e a capacidade do organismo de metabolizar a substância. Acredita-se, porém, inexistir uma dose letal para a droga em sua forma pura, já que o excesso seria eliminado pelo organismo da forma usual (desintoxicação hepática e eliminação pela urina dos metabólitos solúveis).

As poucas suposições que existem sobre a dose letal do LSD apontam para a quantidade de 200 µg/kg a mais de 1 mg/kg de massa corporal humana, apesar de não haver nenhum registro.

Apesar de os estudos serem poucos e não comprovatórios, o LSD é uma substância que pode reagir negativamente com pessoas pre dispostas a terem arritmias, problemas de pressão ou emocionais, para citar algumas situações em que é possível haver complicações e a pessoa sentir pânico ou medo. Portanto, manter-se na “margem de segurança” é o suficiente para curtir a trip, sem necessidade de excessos. Aqueles que tomam micro doses costumam manter-se em 75 µg, uma quantidade considerada segura.

Comente também!

comentários

Clique para Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Psicodelizando é mantido pela Psicodelia Minha Doce Esquizofrenia, um portal criado para compartilhar ideias, experiências, arte e ativismo. Estamos em conformidade com a lei e não fazemos apologia a nenhum tipo de substância.

Siga-nos

CIMA