OCB C Dezembro
Ecstasy

Pessoas contam a pior bad de ecstasy que já tiveram

ecstasy

Confira alguns relatos de usuários de ecstasy sobre as badtrips que tiveram.

Esta matéria é parte da série “Safe Sesh”, uma campanha de redução de danos da VICE produzida em colaboração com The Loop e Royal Society for Public Health. Tradução de Marina Schnoor. 

O ecstasy

O ecstasy está muito mais forte hoje do que costumava ser. Isso significa duas coisas. Primeiro: aquele seu tio que usa brinco e coleciona vinil está errado quando diz que as drogas eram “melhores” na época dele; segundo: a droga agora é mais perigosa que nunca. Pesquisadores de ecstasy dizem que uma dose “aceitável” para um adulto de tamanho médio numa noite é de 70 a 75 mg de MDMA. Hoje em dia, a The Loop, organização que testa drogas, encontra regularmente pílulas contendo mais de 250 mg da droga.

Colocar algo no seu corpo que vai fazer seu coração bater duas vezes mais rápido nunca vai ser 100% seguro, mas há maneiras de mitigar os riscos: como testar a droga para descobrir a pureza da substância, e sempre começar com a metade – melhor ainda, um quarto – da pílula, e espere bater antes de tomar mais. Você encontra mais conselhos práticos e honestos sobre isso aqui.

As pessoas tomam essas substâncias porque a droga faz você se sentir bem. Mas também é importante reconhecer que nem sempre você sente o que estava esperando. Aqui vão algumas histórias sobre isso.

Relatos de usuários:

Ana:

Apesar de já fazer sete anos que experimentei MDMA pela primeira vez, minha pior experiência com a droga aconteceu recentemente. Claro, já passei por aquela história “tomei muito, bateu forte, não consegui sustentar o barato e acabei vomitando o dia inteiro” algumas vezes. E a ressaca sempre vem forte para mim, e quase sempre envolve vomitar de qualquer jeito. Mas a pior vez foi no Glastonbury deste ano, principalmente porque achei muito injusto.

Peguei algumas gramas de “MDMA” de um traficante novo. Uma noite, depois de triturar e engolir uma pílula, eu já estava ridiculamente ligada mas ainda não sentia que tinha batido. Como sou uma criança impaciente, fui para o banheiro químico cheirar mais (eu sei, eu sei – péssima ideia, nunca faça isso). Logo eu tinha usado quase tudo. Voltando para a barraca de onde eu tinha vindo, parecia que minha alma estava sendo sugada pelo meu cu. Fiz meus amigos soprarem fumaça de cigarro na minha boca, porque eu estava com muita ânsia de vômito, e aí finalmente saiu – um monte de gorfo ao lado do Other Stage, enquanto meus amigos assistiam o show de costas para mim, dizendo coisas como “Vai ficar tudo bem, amor”.

Uma dessas coisas (ou todas elas) pode ter acontecido: a) eu estava usando só speed; b) era MDMA mas cortado com alguma porcaria; c) eu já estava tão esgotada de serotonina no meu estado natural que não tinha mais como dar barato. Mas sinto que se fosse MDMA normal eu saberia o que estava acontecendo – então a moral da história provavelmente é: como alguém vai saber a dose certa quando não faz ideia do que está enfiando no nariz num banheiro químico todo mijado?

 

 Yemi

Quando tinha 19 anos, eu estava na festa na casa de alguém e tomei duas pílulas rosas porque era um besta. Felizmente, isso foi por volta de 2009, quando o ecstasy no Reino Unido era incrivelmente fraco, e em alguns casos nem continha MDMA. O que não me impediu de vomitar quase instantaneamente e por umas duas horas depois. Na verdade, pensando agora, devia ser outra coisa, porque eu não estava vomitando por estar chapado, e sim porque a náusea era incontrolável.

De novo, porque eu era idiota, fui para fora vomitar no mato porque tinha uma garota na festa de quem eu gostava e eu estava com vergonha. Felizmente, um dos meus amigos veio me procurar, me deu água e chamou uma ambulância. Eu poderia ter ficado por lá mesmo e vai saber o que teria acontecido.

1 1 - Pessoas contam a pior bad de ecstasy que já tiveram

 

Bruno

Um amigo meu se cagou em Manchester depois de tomar uma pílula. Os amigos tiraram a roupa dele, lavaram a calça na pia e colocaram para secar numa daquelas máquinas de secar as mãos. Claro, a calça começou a chicotear no ar quente e espirrou água suja em todo mundo. Aí eles colocaram seus casacos nele e o levaram pra fora, apesar do frio congelante, e ficaram na balada por mais umas quatro horas. Ele ficou bem depois, só constrangido e coberto de merda.

 

Leanne

Tem coisa pior do que usar drogas com amigos que estão usando drogas pela primeira vez? Não tem. Nesse caso em particular, a droga escolhida foi o MDMA e os amigos, graças a Deus, não eram do tipo que engolem pílulas num armazém enquanto garotas na porta do banheiro se oferecem para espirrar “perfume” no seu pulso.

Dizer que eu me sentia “responsável” por eles seria errado, porque se tivesse alguma noção do que era “responsabilidade” eu não estaria tomando MDMA – que comprei de alguém mais velho do mesmo curso que eu, que na época desfrutava de uma carreira lucrativa como traficante do campus – numa rave nojenta. Sabe, aquelas com um monte de gente de calça reflexiva, tomando ácido em volta de uma lixeira pegando fogo e alguém fazendo pintura facial em troca de drogas? Então.

Bom, acho que minha consciência de um certo desconforto dos meus amigos tornou quase impossível me “soltar” completamente, o que me irritou mas decidi culpar o MDMA fraco. Então tomei mais um monte, e também comecei a beber. Aí só lembro de ser dia e eu estar tremendo em posição fetal perto da estação de trem, com 999 na discagem automática e uma garota que nunca vi antes cheirando ketamina de um espelho do meu lado.

Esse foi o fim do meu relacionamento com MDMA, mas fico feliz em informar que minhas amizades continuam intactas.

 

Tom

Eu não diria que foi uma experiência ruim, mas eu e uma amiga decidimos ficar em casa e tomar MDMA sem muito mais planejamento. Trituramos as pílulas e engolimos, e depois reclamei que estava demorando pra bater, já que normalmente levo mais horas para ficar louco do que quem está comigo. Doze segundos depois, tive que correr para o banheiro, onde comecei a vomitar por todo lado. Acontece que a pílula era forte, e meu queixo estava batendo como uma secadora de roupas bamba. Minha amiga ficou rindo da minha húbris até 12 segundos depois, quando ela teve que correr para a privada e quase vomitou em mim. Mas depois disso foi legal.

 

Max

Alguns anos atrás, um amigo e eu fomos para Brighton para encontrar amigos das antigas para uma noite fora. Chegamos lá super tarde, quando todo mundo já tinha se preparado para a balada, então tomamos nossas drogas assim que chegamos porque todo mundo queria sair logo. Bom, cheirei uma carreira de MDMA e, muito idiota que sou, triturei e engoli uma pílula, e saímos logo em seguida para ir andando de Hove ao Concorde 2, na beira mar de Brighton. Corremos o caminho todo e, assim que chegamos ao final da fila, senti uma pontada terrível no estômago.

A hora seguinte é meio nebulosa na minha memória, mas meus amigos contaram que ajoelhei na lama, perto da fila, mastigando meu próprio rosto e tendo ânsia sem conseguir vomitar. Moral da história: se você for tomar ecstasy, seja responsável.

 

E você, qual seu relato sobre as trips que envolveram o ecstasy? Manda pra gente!

Comente também!

comentários

Clique para Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Psicodelizando é mantido pela Psicodelia Minha Doce Esquizofrenia, um portal criado para compartilhar ideias, experiências, arte e ativismo. Estamos em conformidade com a lei e não fazemos apologia a nenhum tipo de substância.

Siga-nos

CIMA