BudMaps
OCB C Novembro
Natural Herbs
Entrevistas e Relatos

Guerreiro entrevista o “Menino do Acre”, Bruno Borges. (PARTE 1)

maxresdefault exss - Guerreiro entrevista o "Menino do Acre", Bruno Borges. (PARTE 1)

Quinze perguntas de teor filosófico e teológico feitas a Bruno Borges. Chega de perguntas superficiais… vamos ao âmago do pensamento do menino do acre.

O primeiro vídeo é basicamente uma introdução. Até os 10 minutos são feitas consideração gerais. Em seguida se inicia a entrevista que perdurará pela parte dois e três desta série.

ENTREVISTA:

Pergunta Guerreiro: Você é ateu, agnóstico ou teísta? Caso não seja ateu: Qual sua concepção sobre o universo, Deus e o homem… ela segue uma linha mais imanente/ panteísta ou uma linha mais transcendental (quero dizer com isso se você acredita em um Deus “energia” panteísta, que está em tudo, ou em um Deus pessoal transcendente ao universo). Em fim, qual sua concepção sobre Deus e o universo?

Resposta Bruno Borges: O que posso afirmar é que não sou ateu (embora não tenha nada contra). Minha concepção sobre o universo, Deus e o homem segue, por enquanto, uma linha mais imanente / panteísta. Muitas obras tenho dito sobre essa energia e força que está em tudo. O universo e Deus seriam dois lados de uma mesma moeda, como se o Universo estivesse para os cientistas e realistas e Deus estivesse para os religiosos e idealistas. A polaridade e a confluência energética são fundamentais para que o Cosmos manifeste sua existência. Nos últimos séculos o ocidente tem se mantido com o espírito materialista e o oriente com o espírito espiritualista, embora comecemos a presenciar uma junção entre ciência e religião. A dualidade faz parte da tomada de consciência de seres que estão despertando para a compreensão do Uno. Tudo o que está em cima está embaixo, na lei de Hermes o Todo é mente e nós somos mentais. Do mesmo modo temos dois hemisférios cerebrais, um abstrato e outro lógico. Deus e o Universo para mim são a mesma coisa e a verdade é UMA só. A compreensão da natureza e suas leis nos levam a entender essa fonte divina.

Pergunta Guerreiro: Você tem apreço por alguma instituição/vertente religiosa? Ou busca sua fé de forma independente? Qual sua relação com o espiritismo?

Resposta Bruno Borges: Sempre visitei e estudei todas as religiões possíveis. Tento conectar as informações em vez de descarta-las e com isto pude perceber que todas as instituições religiosas tendem a buscar os mesmos princípios. Mas não me mantenho em nenhuma religião, buscando minha fé de forma independente. Tenho fortes afinidades com o espiritismo desde a tenra idade e acredito que boa parte das religiões cumprem um papel de auto-transformação do indivíduo (por isso penso que são importantes para a sociedade). Essa conexão que eu procuro fazer não se limita apenas a religião em si, como percebo semelhanças com a ciência. A primeira trata de linguagem simbólica do inconsciente, a segunda de uma linguagem em palavras e imagens que perfila a consciência.

Pergunta Guerreiro: A sua proposta, o seu projeto, aquilo que você quer passar para as pessoas, é de cunho puramente intelectual, ou espiritual também? Fale sobre isso.

Resposta Bruno Borges: Os dois. Algumas obras eu tento passar as ideias que desenvolvo de maneira intelectual (por exemplo a TAC, primeira obra), para os que tem dificuldade em lidar com a outra vertente possam entender o raciocínio. Já outras obras eu escrevo coisas de cunho espiritual. E existem também aquelas pela qual eu tento unir a espiritualidade e a intelectualidade. Sempre busquei estudar e absorver todas as informações possíveis e uni-las no que chamo de “egrégora”. Depois disto eu gero através das conexões sinápticas passadas entre os neurônios, um novo valor informativo…

Pergunta Guerreiro: Você teve acesso aos meios de comunicação (TV, internet, smartfones etc) enquanto esteve isolado? Estava ciente do desenrolar das coisas?

Resposta Bruno Borges: Não tive acesso a nada. Eu já me isolei pretendendo o autoconhecimento. Eu tinha um sonho em ser eremita. Embora eu ainda queira este espaço reservado para mim, deixarei para o futuro. Gosto muito de me relacionar com as pessoas e aprender com elas, mas também amo a solidão.

Pergunta Guerreiro: Você pode dizer o tema do seu segundo livro? Qual o tema geral e etc? (Sem dar detalhes, apenas para aguçar o interesse à leitura)

Resposta Bruno Borges: (SEM RESPOSTA)

Pergunta Guerreiro: Foi comentado que você alega ter sido “chamado” para executar este projeto, como se alguém (humano ou não-humano) o estivesse guiando, isso é verdade? Você acredita em outras mentes, consciências não humanas? Você já experimentou alguma forma de contato com entidades?

Sim, é verdade e eu escrevi 2 obras sobre isto. Acredito. Experimentei. A experiência mais forte foi aos 20 anos, quando recebi as informações de como deveria proceder. Somos antenas e o Cosmos tem um núcleo aonde toda a periferia se concentra. Se acessamos esse núcleo podemos pegar qualquer informação. Porém desde a tenra idade eu passo por coisas que me é difícil dizer. Alguns indivíduos dizem que lembram de quando ainda eram uma consciência na barriga de sua mãe. Imagine o que dirão de mim se eu disser que também lembro? Se não compreendemos quando alguém fala das cosias deste mundo, como poderemos compreender das coisas celestes?

Confira o vídeo do canal Guerreiro.

 

Comente também!

comentários

Clique para Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Psicodelizando é mantido pela Psicodelia Minha Doce Esquizofrenia, um portal criado para compartilhar ideias, experiências, arte e ativismo. Estamos em conformidade com a lei e não fazemos apologia a nenhum tipo de substância.

Siga-nos

CIMA